Sofisticadamente simples, foi um gênio

Em início de carreira

Em início de carreira

Na última sexta-feira, a música perdeu mais um de seus ícones. Pouco conhecido por aqui, JJ Cale era mito entre grandes nomes do Rock, mais conhecido como herói pessoal de Eric Clapton.

jj-cale_playing

Autêntico representante da música americana, com acento no Country, Folk, influências de Blues e Jazz, JJ era grande compositor e guitarrista talentoso. Dono de voz e estilo que podia variar entre Cash e Dylan, cativou com sua simplicidade o excêntrico jovem inglês que fora chamado de deus, mas que não se via assim, tampouco queria pra si a alcunha de guitar-hero. Clapton, desde sempre um amante da musicalidade vinda da América, purista do Blues, se encontrou de vez quando conheceu de perto a verve dos trovadores da estrada e saloons.

Décadas de amizade e parceria musical

Décadas de amizade e parceria musical

Cale começou sua carreira ainda no final da década de 50, seu primeiro single é 1958, como Johnny Cale, mas seu primeiro disco cheio saiu só em 72. Um ataque cardíaco o levou inesperadamente aos 74 anos, após 14 discos, sendo o último de 2009, Roll On, onde ficou registrada a última de muitas parceiras com Clapton, responsável por tornar mundialmente conhecidas Cocaine e After Midnight. É dele também Call Me the Breeze, que virou clássico na versão do Lynyrd Skynyrd.

Lançado em 2006, a parceria recebeu o Grammy de Melhor Disco de Blues Contemporâneo, em 2008

Lançado em 2006, The Road to Escondido recebeu o Grammy de Melhor Disco de Blues Contemporâneo, em 2008

Troubador, o 4º disco, completo, de onde Clapton tirou Cocaine. Uma obra prima, suave.

After Midnight, linda versão.

Com outro genial parceiro, Leon Russell.

Clapton sofreu muito com grandes perdas em sua vida. Certamente este é mais um duro golpe no velho Slowhand.

Descanse em paz, Mr. Cale.

Anúncios