A inquisição da modernidade

marco_feliciano_machismo

O famigerado pastor e uma de suas muitas declarações de intolerância

Marco Feliciano já deu todas as demonstrações de que é uma pessoa atrasada, preconceituosa, intolerante. Até ai, a maioria concorda, mas ainda assim, não são poucos os que enxergam um “porém” a cada vez que ele comete uma de suas atrocidades verbais. Dessa vez, foi além, suas palavras se transformaram em violência física e ainda assim as pessoas dizem “mas”. Ai eu pergunto, até quando?

Feliciano manda prender garotas que se beijaram em culto evangélico

‘Essas duas precisam sair daqui algemadas’, disse o deputado; as jovens relataram terem sido agredidas pela Guarda Municipal

garotasfelicianoREGINALDO_PUPO292x280Texto completo:
http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,feliciano-manda-prender-garotas-que-se-beijaram-em-culto-evangelico,1075384,0.htm

Diante de uma notícia como esta, que tipo de reação esperar? Eu só esperaria indignação, contra o tal “pastor”, evidentemente. Mas há quem prefira ver culpa das garotas.

Veja bem, estamos falando de duas jovens, em meio a uma plateia de milhares de pessoas, em um evento público. Tudo bem, elas sabiam que se tratava de um “show-culto”, fizeram de propósito, para provocar. Mas isso justifica a reação absurdamente desproporcional?

Daí nós podemos tirar muitas reflexões, analisar muitos aspectos. Até onde vai a liberdade de expressão, o direito de se manifestar, de protestar, o que é ofensivo, onde está a tolerância, a compreensão religiosa, até onde vai o direito de um pastor, ou autoridade qualquer de mandar retirar pessoas de um local público, qual crime teriam cometido as garotas, até onde a polícia deve servir como arma das autoridades, e etc.

Pela repercussão nas redes sociais, podemos ver que as pessoas tendem a achar que as meninas erraram em provocar, mas ignoram por completo o fato de elas terem direito a se manifestar, estavam em local público. Feliciano é conhecido por suas declarações homofóbicas, portanto, é evidente que o beijo delas foi uma forma de protesto. Dessa forma, por mais que incomodasse aos demais presentes, elas não cometeram nenhum ato de violência ou ataque ao pudor. Não houve nenhum crime, até porque, como relataram, havia outros casais, heteros, se beijando ali. Sendo assim, que direito tem Marco Feliciano de mandar retirar as garotas do local? E tendo mandado, que direito tem a Guarda Civil de fazer isto, já que elas não estavam cometendo crime algum? E porque os guardas obedeceram a ordem de Feliciano, por ser ele pastor ou deputado? Então a guarda civil serve aos interesses de figurões, ao invés de proteger a população e o patrimônio público? Afinal, se elas não cometeram crime, eles não deveriam ter obedecido a nenhuma ordem de agir contra as garotas.

god-hates

Vale lembrar que em outros países, onde religiosos chegam a níveis de fanatismo ainda piores que no Brasil, como nos EUA, ninguém é agredido ou preso por protestar, ainda que este protesto seja bem mais explícito, com faixas e cartazes em portas de igrejas, em eventos públicos. As pessoas apenas respeitam a opinião alheia ou discutem, mas a polícia não prende ninguém por expor suas opiniões. Isso é liberdade de expressão.

tumblr_lxng4dUnvz1qbkpbno1_500

Além disso, porque um ato tão simples de duas garotas em meio a uma multidão incomoda tanto a um líder religioso, que, além disso, preside a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados do Governo Federal? Ele compara as garotas a “cachorrinhos querendo chamar a atenção”, diz que basta não dar atenção que param de latir. Então porque, ao invés de dizer que deveriam sair algemadas, apenas não ignorou o tal beijo? Elas estavam gritando, atrapalhando de alguma forma? Onde está a compreensão de um homem que se diz ungido por Deus, representante de Jesus? Não era este que pregava a igualdade, o perdão? Cadê a tolerância destes cristãos, não apenas de Marco Feliciano, como de todos que aplaudiram? E daqueles também que procuram até na lei penalizar as garotas?

Afinal, independente de a sua religião dizer que homossexualismo é pecado, de você achar que duas garotas se beijando no culto é provocação, você não pode conviver com isso? Eu chamo de tolerância, e olha que nem religião tenho. Mas sou capaz sim, de ficar lado a lado com alguém cujo comportamento acho desprezível, sem, no entanto, agredi-lo(a) por isso.

Vale lembrar aqui a resposta de um político dada a um pastor que o questionou por ser a favor da liberdade sexual, com base em palavras da Bíblia. O político desmontou completamente o argumento do pastor, que se calou, com base em palavras do mesmo livro, provando que pode-se interpretá-lo da maneira que se achar mais conveniente e que isto não representa a verdade absoluta como alguns cegamente insistem em colocar.

Mas voltando a reação das pessoas, que dizem não querer justificar a violência gratuita, mas ponderam sobre a “culpa” das garotas por terem provocado, me lembra situações em que meninas são abusadas, como em bailes funk, e acabam culpadas porque deveriam saber dos riscos de ir para um local assim, ou por estarem usando roupa curta. A grande questão é que não importa, nada justifica a violência.

Por falar nisso, vale lembrar ainda que Feliciano defendia há até pouco, seu amigo pastor Marcos Pereira, acusado de estupro, alegando não haver provas contra ele. Marcos Pereira, sobre quem pesam muitas acusações, de todo o tipo, foi condenado e preso. O mesmo Feliciano que usa a Bíblia para julgar as pessoas, exige provas quando acusam um par seu e manda prender pessoas que não cometeram crime algum. Tem algo de muito errado neste país!

size_590_O_pastor_Marcos_Pereira_e_o_deputado_Marco_Feliciano

http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,pastor-marcos-pereira-e-condenado-a-15-anos-de-prisao-por-estuprar-fiel,1074070,0.htm

Concluindo, acredito que em situações como esta, onde, antes de qualquer coisa, está clara a razão da intolerância, qualquer tipo de ponderação é justificar a agressão. Não se pode relativizar o absurdo, homofobia, discriminação, preconceito, não tem mais, não tem porém. Ou você é contra ou não é. Dizer, “eu não concordo, mas, só que, todavia”, já é dar alguma razão ao agressor. Com Feliciano não se pode ter meio termo, sob pena de fazer coro com ele. E muitos o fazem, alguns inconscientemente, pois no fundo existe muito mais ranço homofóbico do que se admite, quando se fala de religião, então, a inquisição ainda vive em muitos corações. Afinal, as bruxas também provocavam, eram uma afronta aos costumes da sociedade e as leis de Deus na época.

Anúncios