Informação pouca é bobagem (ou A Revolta dos Coxinhas)

1004024_176663352510090_953926870_n

Precisa atualizar, “Impeachment da Dilma já”

Ao final desse texto, dirão que estou fazendo propaganda para o governo, que acredito nas mentiras do governo e blablablá, mas estou apenas apresentando dados contra dados, apenas isso. Porque se tem uma coisa que me irrita profundamente são generalizações burras. Pessoas que repetem discursos prontos, qualquer falácia dita por um fulano da televisão, ou alguma publicação tendenciosa, como a VEJA, só porque coincidem com as suas crenças ideológicas. É o que mais vemos hoje em dia no Facebook.

A nova tendência do momento é criticar o investimento brasileiro no porto de Mariel, em Cuba. Dizem que o governo brasileiro está usando nosso dinheiro para financiar uma ditadura comunista, que esse dinheiro deveria ser investido aqui, que é um absurdo gastar dinheiro em outro país enquanto nossos portos estão abandonados. Será mesmo tudo isso?

Para começo de conversa, o governo brasileiro não doou dinheiro, fez um empréstimo, que será pago. “Ah, mas Cuba vai dar o calote”. Na verdade, já estão pagando, a primeira parcela foi paga antecipadamente. Além de o contrato obrigar que sejam utilizadas empresas brasileiras no projeto, fazendo assim que o dinheiro volte ainda de outra maneira. De acordo com o jornalista Kennedy Alencar, falando para a rádio CBN (e olha que é da Globo, hein?), até hoje só levamos calotes duas vezes, de uma empresa dos EUA, que comprou aviões da Embraer e não pagou, e outra chilena, que comprou ônibus brasileiros. Dois países democráticos e capitalistas. Esta e outras informações podem ser obtidas aqui: http://tijolaco.com.br/blog/?p=13133

Aliás, Alencar defende em seu blog pessoal o financiamento em Cuba. Vejamos o que ele diz:

“O ‘Recado do Blog’ é sobre a importância de o Brasil financiar projetos em Cuba. O financiamento tem de ser gasto na compra de produtos e serviços de empresas brasileiras. A decisão, pragmática, ajuda a internacionalização de empresas do Brasil pela América Latina e África. Perto do canal do Panamá, o porto de Mariel, uma obra da Odebrecht, tem localização estratégica para ser plataforma de exportação mundial.
http://blogdokennedy.com.br/financiar-projetos-em-cuba-beneficia-brasil/?doing_wp_cron=1391063033.6558690071105957031250

No blog ele postou este vídeo

Estados Unidos negociam com ditadura comunista (ditadura militar brasileira também negociava)

Quanto ao Brasil estar financiando uma ditadura, isso é uma falácia enorme, o Brasil está fazendo um negócio, como já foi dito. Ou você acha que mais ninguém negocia com Cuba? Os EUA, que mantém um embargo econômico a ilha, é o quarto maior exportador de produtos para lá, você sabia disso? Pois é, tem esta informação também no primeiro link que coloquei acima, você não leu, né? Mas não lhe parece muita hipocrisia manter um embargo econômico, mas lucrar com exportações para o mesmo país? Aliás, os EUA também são o maior parceiro comercial da China, que é uma ditadura comunista. E aí, você vai dizer que os EUA estão financiando ditadores também?

“Ah, mas essa Dilma é uma comunista, tá ajudando Cuba por isso!”. Será mesmo? Você sabia que o Brasil tinha fortes laços comerciais com o governo extremista do Irã? Por falar nisso, alguém lembra que um dos maiores compradores de equipamentos militares do Brasil era o Iraque? Sim, fornecíamos (e lucrávamos) para Saddam Hussein! Não apenas equipamentos militares, mas todo tipo de produtos e serviços, de tecnologia a engenharia, desde a década de 70. Então o Brasil apoiava a ditadura no Iraque, é isso? Por este tipo de raciocínio rasteiro de Facebook, seria. Mas não, não é.

Ah sim, os detratores da presidente Dilma, muitas vezes fãs de FHC, também não se lembram que Fernando Henrique também mantinha relações com Cuba e financiou obras na Venezuela, de Chávez.

Aqui tem uma boa análise de toda a questão.
http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/helena/2014/01/criticar-o-financiamento-do-bndes-em-cuba-e-tiro-no-pe-7835.html

Além de ter “esquecido” que o governo de FHC manteve parcerias e intercâmbios com Cuba, o comunicado de Aécio e PSDB critica empréstimos à “Venezuela chavista”, quando no governo FHC o BNDES emprestou US$ 107,5 milhões para a construtora Odebrecht abrir uma linha do metrô de Caracas, sob o governo de Hugo Chávez.

fhcfidelchavez
Caridade é lindo (desde que não seja com nosso dinheiro)

“Ah, mas o Brasil perdoou a dívida de países africanos! Estamos ricos agora pra perdoar dívida dos outros?”. Gente, o Brasil perdoou dívida da Etiópia, Tanzânia, Zâmbia… Vocês são mesmo tão mesquinhos assim, que acham que deveríamos cobrar desses países, onde a miséria é endêmica, onde as pessoas morrem de fome aos milhares, onde a AIDS ainda é um flagelo? Tenham dó. Quando se fala em caridade, todo mundo acha lindo. Festivais de Rock para arrecadar dinheiro para a fome na África, como o Live Aid, são o máximo, né? Mas perdoar a dívida desses mesmos países miseráveis é crime?

“Ah, mas aqui existe miséria também. Porque vamos nos preocupar com outros países se ainda tem muito pra ser feito aqui?”. Sim, existe miséria aqui, e está sendo combatida com programas de assistência social, os mesmos que pessoas como você chamam de esmola. Ou seja, não pode perdoar a dívida dos miseráveis africanos,mas também não pode ajudar os miseráveis daqui? “Ah, tem que investir em infraestrutura, tem que ensinar a pescar!”. E isso não está sendo feito? Quantas escolas, universidades, foram construídas na última década? Quanto cresceu o acesso à universidade? Quanto melhorou o acesso a condições mínimas de moradia, saneamento, trabalho? Você viu que o desemprego no Brasil teve queda recorde em sua história? Nunca tivemos taxa tão baixa de desemprego?
http://exame.abril.com.br/economia/noticias/taxa-de-desemprego-no-brasil-cai-a-4-3-novo-recorde

Mais um pouco de informação

Por falar nisto, voltando ao porto, muitos disseram que é um absurdo investir esse dinheiro lá fora, já que este dinheiro todo podia ser usado aqui. Agora, estas pessoas sabem quanto dinheiro está sendo gasto nos portos aqui? Para o porto de Mariel, em Cuba, foram financiados (não dados), 957 milhões de reais. Neste link de 2012, mostra que a verba do PAC para os portos brasileiros é de 54,4 bilhões. Compare as cifras e pense outra vez, será que não estão investindo nada mesmo por aqui?
http://www.planejamento.gov.br/conteudo.asp?p=noticia&ler=9216

Aliás, por falar em PAC, o programa de aceleração do crescimento, responsável por obras do governo em áreas diversas, investiu até 2010, mais de 500 bilhões de reais. Já o PAC 2, até o ano passado, tinha investido mais de 665 bilhões. Isso dá mais de 1 trilhão de investimentos em pouco mais de 6 anos. Será mesmo, que investir 957 mihões, como empréstimo, dinheiro que vai voltar de qualquer forma, é mesmo um absurdo tão grande assim? Vale lembrar que só cresce quem investe. Então, não adianta ficar postando foto de rodovia enlameada no Amazonas, como justificativa contra o investimento, como empréstimo, em Cuba. Mesmo que esse dinheiro fosse usado em obras aqui, não ia resolver todos os problemas de estradas e portos do Brasil, não ia acabar com a miséria, não ia ampliar todos os aeroportos, simplesmente porque estamos em um país continental, que viveu décadas de abandono em infraestrutura. Mas isso não quer dizer que nada está sendo feito.

Enfim, não é apenas questão de orientação política ou partidarismo, antes de sair criticando, repassando qualquer bobagem que alguém postou no Facebook, com interesses eleitoreiros, muitas vezes, ou repetir o discurso reacionário de figuras rancorosas como Sheherazade na TV, é bom se informar. Para não correr o risco de fazer papel de burro.

Pra fechar, entrevista com o diretor de comércio exterior da FIESP, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, aquela que faz oposição sistemática a qualquer medida social, a mesma que barrou a proposta de IPTU proporcional em SP. Até a FIESP entendeu a questão dessa vez.

Rodrigo Branco
Lembrando que excesso de fritura faz mal ao coração

Anúncios